A matemática dos relacionamentos que não deram certo

É muito doloroso quando um relacionamento afetivo acaba ainda mais quando não foi você que pontuou o final.

Nos momentos que sucedem o acontecido tudo no mundo se limita ao sentimento de rejeição, abandono e a certeza que você saiu defasado dessa história.

Como nenhum relacionamento é igual e as pessoas são únicas e intransferíveis (até que tenham desempenhado o papel necessário na sua vida) é importante compreender que aquilo que cada um estava disposto a somar ali era o que o outro precisava receber dado o momento de vida e a necessidade para a evolução pessoal de cada um.

Nem sempre a energia que colocamos num relacionamento é equilibrada, não é incomum que haja grandes discrepâncias emocionais. Na matemática amorosa às vezes você precisou se contentar com 15% de vontade, contra 85% do amor que você estava disposto a oferecer. Mas saiba que aquilo se configurou de maneira necessária para o aprendizado dos dois.

Se você não tentar enxergar porque você se dispôs dar 93% de carinho e receber ¼ hora de atenção no ano é bem capaz que essas equações se repitam em relações futuras.

Tem vezes que 100% de empenho para o relacionamento dar certo era todo seu e aí você vai perguntar: Mas eu merecia receber 0% de consideração nessa história? Talvez o que você mereceu foi o resultado dessa aplicação somada e o valor dessa experiência que você levará, porque convenhamos, determinadas experiências são um grande trunfo para a nossa vida.

Eu sei que dependendo do momento é bem mais fácil ficar alimentando esperanças de que aquela pessoa volte com aquela ninharia percentual que estava disposta a oferecer.

O que se tem que pensar agora é que você está livre com uma experiência dividida na manga e com grande porcentagem de chance de encontrar alguém com quem possa andar juntinho rumo ao caminho do meio.

No fim das contas você vai perceber que aquela pessoa sair da sua vida foi a coisa mais exata que poderia ter acontecido.

Produtora e Semioticista escreve em momentos ocasionais para dialogar com a vida e encontrar almas afins.

Compartilhe a felicidade!

Deixe seu comentário!

Post Author: Maisa Lambert

Maisa Lambert
Produtora e Semioticista escreve em momentos ocasionais para dialogar com a vida e encontrar almas afins.

Deixe uma resposta